Hospital de Loulé
Hospital de Loulé

Informações básicas sobre a covid-19

30 de Março de 2020

Informações básicas sobre a covid-19

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já tinha infetado, no final de março, mais de meio milhão de pessoas em todo o mundo, e provocado a morte a mais de 23.000.
Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.
O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos.
Informações básicas sobre a covid-19

O que são os coronavírus?
Os coronavírus são uma família de vírus que podem causar infeções nas pessoas. Normalmente estas infeções afetam o sistema respiratório, podendo ser semelhantes à gripe ou evoluir para uma doença mais grave, como pneumonia.
O que é o novo coronavírus?
O novo coronavírus, designado SARS-CoV-2, foi identificado pela primeira vez em dezembro de 2019 na China, na cidade de Wuhan. Este novo agente nunca tinha sido identificado anteriormente em seres humanos. A fonte da infeção é ainda desconhecida.

Covid-19 é o mesmo que o SARS-COV-2?
Não. SARS-CoV-2 é o nome do novo vírus e significa Severe Respiratory Acute Syndrome (Síndrome Respiratória Aguda Grave) – Coronavírus – 2. O novo coronavírus é designado por SARS-CoV-2, uma vez que existe outro coronavírus que causa uma Síndrome Respiratória Aguda Grave, que foi identificado em 2002, intitulado SARS-CoV. Covid-19 (Coronavirus Disease) é o nome da doença e significa Doença por Coronavírus – 2019, fazendo referência ao ano em que foi descoberta.
Qual é a origem do novo coronavírus?
Segundo as informações publicadas pelas autoridades internacionais, a fonte da infeção é desconhecida e ainda pode estar ativa. A maioria dos casos está associada a um mercado em Wuhan, específico para alimentos e animais vivos. O mercado foi encerrado a 1 de janeiro de 2020. Como os primeiros casos de infeção estão relacionados com pessoas que frequentaram este mercado, suspeita-se que o vírus seja de origem animal, mas não há certezas.
Já houve algum surto com coronavírus em anos anteriores?
Sim. Em anos anteriores foram identificados alguns coronavírus que provocaram surtos e infeções respiratórias graves em humanos. Nomeadamente, entre 2002 e 2003, a síndrome respiratória aguda grave (infeção provocada pelo coronavírus SARS-CoV) e em 2012 a síndrome respiratória do Médio Oriente (infeção provocada pelo coronavírus MERS-CoV).
Qual é a diferença entre epidemia e pandemia?
Uma epidemia é quando uma doença ocorre com frequência invulgar numa determinada região e por um período limitado. Já a pandemia é uma epidemia que se alastra ao mesmo tempo em vários países.
O que é a quarentena, o isolamento preventivo e o distanciamento social?
Isolamento preventivo significa que devemos, preventivamente, para contermos a propagação do vírus, permanecer em casa todo o tempo possível, saindo apenas para realizar tarefas indispensáveis
Quarentena é um isolamento obrigatório, significa que devemos cumprir rigorosamente as instruções de isolamento, permanecendo em casa durante o período determinado. Para responder a necessidades básicas, devemos pedir ajuda de outras pessoas
Distanciamento social é um comportamento de prevenção, que consiste em mantermo-nos afastados dos outros pelo menos um metro, eliminando cumprimentos que impliquem contacto físico.
Quais são os sinais e sintomas da covid-19?
A maioria das pessoas infetadas apresentam sintomas de infeção respiratória aguda ligeiros a moderados:
• Febre (temperatura igual ou superior a 37,5ºC)
• Tosse
• Dificuldade respiratória (falta de ar)
Em casos mais graves pode causar pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos, e eventual morte. Contudo, a maioria dos casos recupera sem sequelas.
 Como se transmite a doença?
A covid-19 transmite-se por contacto próximo com pessoas infetadas pelo vírus, ou superfícies e objetos contaminados. Esta doença transmite-se através de gotículas libertadas pelo nariz ou boca quando tossimos ou espirramos, que podem atingir diretamente a boca, nariz e olhos de quem estiver próximo. As gotículas podem depositar-se nos objetos ou superfícies que rodeiam a pessoa infetada. Por sua vez, outras pessoas podem infetar-se ao tocar nestes objetos ou superfícies e depois tocar nos olhos, nariz ou boca com as mãos.
Qual é o período de incubação?
Estima-se que o período de incubação da doença (tempo decorrido desde a exposição ao vírus até ao aparecimento de sintomas) seja entre 2 e 14 dias. A transmissão por pessoas assintomáticas (sem sintomas) ainda está a ser investigada.
Existe uma vacina?
Atualmente não existe vacina contra o SARS-CoV-2. Sendo um vírus recentemente identificado, estão em curso as investigações para o seu desenvolvimento.
Os antibióticos são efetivos a prevenir e tratar o novo coronavírus?
Não, os antibióticos são dirigidos a bactérias, não tendo efeito contra vírus. O SARS-CoV-2 é um vírus e, como tal, os antibióticos não devem ser usados para a sua prevenção ou tratamento.
O que são medidas de higiene e etiqueta respiratória?
Tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo
Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”), com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%
• Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória
• Evitar tocar na cara com as mãos
• Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado
Quais são as pessoas com mais risco de doença grave?
O s idosos e pessoas com doenças crónicas (como por exemplo, doenças cardíacas, diabetes e doenças pulmonares).
Se pertencer a um grupo de risco, o que devo fazer para me proteger?
Se tiver risco de doença grave por covid-19, deve:
• Tomar precauções diárias, mantendo a distância de outras pessoas
• Afastar-se de pessoas doentes quando sair
• Limitar o contacto próximo
• Lavar frequentemente as mãos
• Evitar multidões
Tenho de usar máscara para me proteger?
De acordo com a situação atual em Portugal, não está indicado o uso de máscara para proteção individual, exceto nas seguintes situações:
• Suspeitos de infeção por covid-19
• Pessoas que prestem cuidados a suspeitos de infeção
A Direção-Geral da Saúde não recomenda, até ao momento, o uso de máscara de proteção para pessoas que não apresentam sintomas (assintomáticas). O uso de máscara de forma incorreta pode aumentar o risco de infeção, por estar mal colocada ou devido ao contacto das mãos com a cara. A máscara contribui também para uma falsa sensação de segurança.

Fonte: Direção-Geral da Saúde

MARQUE UMA CONSULTA

É rápido e fácil

reserve uma pre-marcação